• Cristalwolf

Uma ferramenta chamada Intuição

Existem muitos livros, rituais, professores e guias disponíveis nos mais distintos lugares, e apesar de todo este leque de possibilidades para aquisição de conhecimento muitos praticantes se esquecem da principal ferramenta de um magista: A intuição.


De acordo com o dicionário, intuição é a faculdade ou ato de perceber, discernir ou pressentir coisas, independentemente de raciocínio ou de análise. Já para a filosofia, intuição é a forma de conhecimento direta, clara e imediata, capaz de investigar objetos pertencentes ao âmbito intelectual, a uma dimensão metafísica ou à realidade concreta. Mas de onde vem todo este conhecimento?


De acordo com o Princípio Hermético do Mentalismo que incorpora a verdade de que tudo é mental e está conectado, então toda criatura possui acesso à esta mente universal seja consciente ou não. Isso explica muito bem o motivo dos filhotes de tartarugas sempre saberem o caminho para o mar e de tantas outras façanhas incríveis de seres com poucos minutos de vida. Alguns chamam isso de instinto, intuição, mas e se ambos na verdade forem pontes que conectam o indivíduo com o Todo em diferentes níveis de consciência?


A intuição é a porta de entrada para o conhecimento superior. Através dela é possível receber ensinamentos complexos de entidades, ter premonições e tudo de forma clara e fluida.


Entretanto somos bombardeados todos os dias por uma grande quantidade de informações, demandas e pressões que esmagam nossa vastidão em uma pequena realidade. Todo este estresse gera frustrações, abalos consideráveis na autoestima e fragmentação da autoconfiança que prejudica nossa intuição e acaba rompendo o nosso vínculo com a Mente Universal.


A intuição é uma parte natural e inerente de nossa natureza. Quando você retira todos os comportamentos de estresse aprendidos, pressões, projeções mentais e camadas de bagagem, encontramos o esplendor de nosso verdadeiro eu. Essa natureza autêntica é pacífica, feliz e intuitiva. Cada um de nós tem essa capacidade de conhecer as coisas, sentir as coisas, ver as coisas e ouvir as coisas, além da nossa percepção consciente. A origem da palavra “intuição” é o verbo latino intueri , que geralmente é traduzido como olhar para dentro ou contemplar.


E apesar de todas as vantagens em receber a sabedoria diretamente do Todo, a intuição pode acabar se tornando uma ferramenta autodestrutiva se ela não for munida de conhecimento advindo de muito estudo e prática. Pois da mesma forma que a intuição é uma porta de entrada para o conhecimento superior, ela também pode servir de entrada para coisas perigosas e não tão evoluídas como obsessores, larvas astrais e entidades que não farão bem ao magista.


Por isso é preciso praticar, estudar e se proteger antes de seguir 100% com sua intuição. Afiar a intuição é um trabalho árduo que requer muita paciência e disciplina, mas se praticado constantemente, trará resultados incríveis e fluidos.


Dentre as vantagens de ter uma intuição bem desenvolvida, é o fato de que quase qualquer ato mágico se torna natural de ser executado e imensamente mais poderoso. Além disso, ouvir as instruções dos guias e se comunicar com seres astrais se torna bem mais simples.


Mas afinal, como se desenvolve a intuição? O que podemos dizer é que este é um trabalho pessoal e individual. Não há receita pronta. Mas se você tiver dúvidas por onde começar, comece pedindo auxílio aos seus guias.

126 visualizações
CONTATO:
INSCREVA-SE PARA RECEBER NOVIDADES!

© 2018 - Este site foi desenvolvido por Axioma e todo o seu conteúdo está protegido pela lei dos direitos autorais.