• Cristalwolf

Selamentos e bloqueios mágicos


"La Vierge Intronisée" de Abbott Handerson Thayer, 1891

Esse texto foi criado com base nos relatos de inúmeros bruxos, declarados, (e autodeclarados) para lançar alguma luz sobre um problema decorrente de um fenômeno moderno na democratização do conhecimento e da magia; um problema que algumas pessoas tem sentido e sofrido, por origens diversas: o Selamento.

O que vem a ser selamento, no sentido de bloqueio? Não me refiro ao selamento como o conjunto de movimentos, sigilos e fetiches aos quais todos recorrem para lançar um encantamento, mas sim ao exato extremo oposto: o bloqueio mágico, ao qual a maioria atribui à ação de terceiros que em geral o faz de forma proposital, usando de certo artifício que pode variar para “selar” suas habilidades mágicas.


Esse conceito de selar outro bruxo é reflexo do grande aumento de bruxos na sociedade atual e de possíveis atritos que venham a ocorrer entre eles. Ainda tentando elucidar, ao menos para quem está familiarizado com jogos de rpg, é a famosa magia “silence” (*silencio), onde a vítima não pode lançar feitiços enquanto estiver sobre seu efeito.

A questão é: isso é realmente possível? O que fazer quando somos vítimas de um selamento?

Selamento Psicológico – e o poder da persuasão


Primeiramente não falaremos do selamento como uma questão mágica, mas sim psicológica. Muitas pessoas que alegam poder selar as habilidades mágicas de outras, no fundo não têm poder ou conhecimento para tanto, se valendo então de um recurso mais simples, mas muito eficaz: a sugestão.


Esse é o motivo pelo qual algumas pessoas que alegam estar selando, “avisam” suas vítimas que o estão fazendo, o que não haveria necessidade tecnicamente se fosse um ataque mágico deliberado. Mas assim funciona o sistema da “criação de tabu”. Através de coerção, intimidação ou outros meios, simplesmente se avisa a vítima que a está selando, e por sugestão e medo a própria vítima se encarrega do restante, selando senão magicamente, ao menos psicologicamente, a si própria. Uma vez convencida de que está selada, ela cria um “tabu” que se torna sua realidade onde ela não consegue lançar um encantamento “por que foi selada por alguém” que a convenceu através de seus meios, e com isso ela também se convence automaticamente que a pessoa que a selou possui recursos, sejam mágicos, ou de conhecimento maiores que o dela, rendendo assim uma eficácia exponencial ao dito selamento.


Esse método é largamente utilizado pelo meio religioso televisivo de hoje em dia, onde apresentadores bradam em rede nacional as maldições contra seus desafetos, na esperança que o peso de sua palavra de alguma forma convença a pessoa que ela realmente esta amaldiçoada. Esse método é inclusive usado por pessoas não-bruxas contra bruxos com resultados.


Selamento Mágico – e os selamentos que todos praticamos


Diferentemente do selamento psicológico, o praticante da arte realmente se empenha em utilizar meios mágicos, além dos psicológicos para selar. Mas se engana quem acha que quem utiliza esses métodos possui um perfil maligno definido: selar é mais comum do que parece. Existem diversas formas de selar inimigos por proteção, como com caixas de espelhos, garrafas de bruxa, sigilos e encantamentos diversos.


Até mesmo alguns amuletos visam bloquear as habilidades mágicas de certos bruxos contra seu usuário, sabendo que magia pode ser perigosa se mal utilizada, para si e para terceiros. Como esse texto tem por finalidade ajudar a se livrar de um selamento e não ajudar a selar, ressalto que há muitos meios para se defender como, por exemplo, os já mencionados aqui no texto como caixas de espelho e garrafas de bruxa. A parte incômoda é que algumas pessoas quando motivadas por ódio, inveja e outros sentimentos realmente se esforçam muito somando meios mágicos e psicológicos para oprimir suas vítimas, que realmente acreditam estar sobre um dos mais poderosos encantamentos sobre ela já lançados na vida.


Essa crença leva a pessoa a uma nulidade alimentando de forma parasitaria seu causador, que passa a vampirizá-la sempre a lembrando periodicamente de sua presença e do seu selamento, que sabe da eficácia de seu encantamento enquanto a vítima se mostrar frustrada demais para reagir.


Nessa hora temos que avaliar se estamos realmente sofrendo um selamento mágico, psicológico ou misto.


Como se livrar de um selamento


Evidentemente a pessoa que supõe estar selada por alguém tem o porquê pensar isso: ela não esta conseguindo realizar seus encantamentos ou processos ligados à magia. Antes de adentrar num ponto contra selamento, é necessário sermos realistas e sinceros conosco e nos perguntarmos:


  • Como eram meus encantamentos antes do selamento e o que mudou realmente? A sugestão dessa pergunta é por um motivo muito simples: algumas pessoas praticam uma arte magica genérica e fraca, supervalorizando seus resultados para não afetar a autoestima, o que não é de todo ruim, até entrar em conflito com alguém, que por um desentendimento uma das partes alega “selar” as habilidades mágicas da outra, a privando de exercer suas artes mágicas, inclusive para se defender. Mas o que fazer quando não conseguimos nos desvencilhar desse tabu?

  • Primeiramente descanse.

  • Não adiantará tentar praticar magia sem descanso: corpo e mente precisa estar descansados.

  • Medite e acalme-se: nada adianta se a mente estiver turva ou conturbada.

Imagine o selamento como algo com forma física: certamente ficará mais fácil dar fim ao selamento se o mesmo puder realmente vê-lo como uma alegoria ou representação da mesma. Para tanto é necessário interpretar como o selamento o afeta e como e o faz senti-lo. Por exemplo, o selamento pode literalmente lacrar seus encantamentos como uma fita adesiva tapando sua boca e olhos, ou como amarras nas mãos ou até mesmo como um cadeado trancado. As alegorias são infinitas, mas o fato é que você deverá escolher uma (ou algumas) para praticar um ritual muito simples, onde você se liberta do selamento. Ali ela será mais do que representação: será o próprio artifício utilizado contra ti para o selamento, e que agora será trabalhado e destruído. Monte um altar básico onde, por exemplo, você remova a fita adesiva da boca, destranca o cadeado ou desata o nó, proferindo palavras de ordem:

“Pela fé na grande arte, me faço livre das amarras e do silêncio que emudecia minha magia. Retorne a origem jugo silencioso e cala meu inimigo. Não perseguirá e não aprisionará Minha magia. Esta feito – estou livre”

Evidentemente nada adiantará se a pessoa não crer no que está falando. Será necessário mais do que apenas falar, mas falar com o coração e usar de sua fé verdadeira. Esse molde pode ser incrementado com muita eficácia adicionando o nome de suas entidades protetoras preferidas ou suas preces mais poderosas. Em seguida acenda uma vela votiva na cor que mais lhe parece representar a liberdade e procure meios complementares de selar ou se proteger do causador (caso sinta necessidade disso), como amuletos e rituais de proteção mais apropriados, mas não se esqueça de NÃO superestimar ou dar crédito para maldições dessa pessoa que alega ter te selado: isso é dar sua energia a ela que a usará contra você logo em seguida. Apenas se afaste dela e siga com sua vida.


ATENÇÃO: Este texto foi escrito pelo Junnýperos Cordeiro que gentilmente deu a sua permissão para reproduzi-lo aqui na Axioma.

852 visualizações
CONTATO:
INSCREVA-SE PARA RECEBER NOVIDADES!

© 2018 - Este site foi desenvolvido por Axioma e todo o seu conteúdo está protegido pela lei dos direitos autorais.