Despertei a magia em mim... E agora?


Despertei-me como bruxo... E agora, que caminho seguir?

Descobrir sua magia interior é algo realmente espetacular, mas também é a linha de partida para uma jornada sem par. Diante de tanta informação e diferentes tipos de artes mágicas, a coisa mais normal é ficar em dúvida sobre o primeiro passo, pois logo vem a famosa vontade de tudo abraçar. Não há como direcionar uma pessoa de um modo sem falhas, pois a jornada é intima de cada um, mas há como indicar que falhas não cometer, e com isso compilar interessantes apontamentos a relevar:

• Não adentre em círculos onde ocorram sacrifícios animais, ou derramamento de sangue

• Não se deixe persuadir por charlatães que seduzem neófitos para tirar-lhes dinheiro e conseguir lacaios submissos

• Não se contente com meia informação nunca. Procure fontes diversas, mesmo que se contradigam, o bom senso falará mais alto

• Não desanime diante dos prováveis desafetos que ocorrerão, muito preconceito ainda contorna o nome do bruxo e não é incomum, problemas no lar e em seus círculos íntimos, problemas envolvendo preconceito

• Medite, aprendendo com calma alinhar mente e corpo

• Faça uma autoanálise e se questione: o que mais lhe atrai na magia. O que quer dela.


Potencialize sua prática, visite nossa LOJA. Clique aqui!

• Mantenha o foco: caminhe em linha reta em direção ao foco: só agregue aquilo que lhe tráz conhecimento

• Em quase todos os campos temos variações incontáveis da arte. Escolha as que mais lhe agradam. Nenhum bruxo sabe tudo, e o mundo da magia é enorme. Por exemplo, conhecimento de ervas, artes divinatórias (e quais, como leitura de mão, cartas, tarô, runas, etc.), feitiçaria, artesanato bruxo, conjurações, evocações, invocações, quebra de demandas, etc.

• Não se contenha só em ler, escreva o seu próprio livro (o livro das sombras) o diário do bruxo onde se anota tudo de relevante

• Verifique se há registro histórico da linha de magia que você esta escolhendo e aprenda mais sobre ela

• Análise: Estude seus feitos, para aperfeiçoá-los ou mudar o que não dá certo.

• Denuncie assédio moral, preconceito racial e religioso, violência e segregação.

• Respeite o próximo e a natureza


Estas são apenas algumas dicas. Uma coisa importante: você é livre enquanto é livre. Cuidado com as decisões que tomar, os amigos que fazer e covens que adentrar. Certifique-se que são pessoas idôneas, de bom caráter e amigas, que querem, sobretudo evoluir espiritualmente e te abriguem em seu meio, como alguém bem-vindo na partilha dessa caminhada. Ninguém pode te obrigar ou forçar a nada, seu único dever é honrar seus compromissos. Conheça seus direitos assegurados pela constituição federal no artigo 5.


Seja bem-vindo ao nosso mundo.

Potencialize sua prática, visite nossa LOJA. Clique aqui!


ATENÇÃO: Este texto foi escrito pelo Junnýperos Cordeiro que gentilmente deu a sua permissão para reproduzi-lo aqui na Axioma.

39 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo